26/05/2020 às 11h19min - Atualizada em 26/05/2020 às 11h19min

Grupo de torcedores do Atlético fazem manifestação contra Bolsonaro e conversam com Jornal 15 Minutos

Rômulo G. Soares
J15M NEWS
Reprodução / Instagram

No último fim de semana, em Belo Horizonte, um grupo de torcedores do Atlético se reuniram na Praça da Bandeira, na região Centro-Sul da capital, para fazer um ato de protesto contra o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido).

O ato ocorreu dois dias depois da divulgação do vídeo da reunião ministerial que contém indícios de uma intervenção de Bolsonaro na Polícia Federal (PF).

Os torcedores do Atlético, chamados de “Resistência Alvinegra” levaram faixas escrito “Bolsonaro Genocida” e bandeiras dos movimentos antifascistas. 

Com exclusividade, o Jornal 15 Minutos conversou com os torcedores do Atlético sobre o ato do último domingo (24), e o “Resistência Alvinegra” conta que estão dispostos a combater forças políticas autoritárias.” Conversando entre amigos, percebemos que a indignação era grande entre a gente com relação a isso, e precisávamos fazer algo que fosse além de uma nota de repúdio, que no nosso entendimento não está causando efeito nenhum na coibição de movimentos fascistas. O fascismo deve ser confrontado, e o que fizemos com esses atos foi mostrar a esses movimentos que se eles desprezam os argumentos, a democracia e o debate, nós estamos dispostos a confrontá-los”, conta o grupo.

Quanto à relação entre futebol e política, os atleticanos afirmam que os dois temas estão em convergência e lembram da importância de se discutir os dois assuntos. “Nós entendemos que é preciso levar as discussões políticas para dentro dos estádios de futebol, e por isso é mais do que necessário ocupar esse espaço, que muitas vezes é ocupado por pensamentos do tipo: ‘futebol e política não se discute’. Esse pensamento não condiz com a realidade. Se vivemos em uma democracia, então nada mais justo que a democracia faça parte do ambiente do futebol”, comentam. 

Os torcedores do Atlético também perceberam a mudança do público que consome futebol e que isso também entra em suas reivindicações. “No futebol é cada vez mais visível a tentativa de elitizar os estádios, deixando o "povão" cada vez mais fora dele, com ingressos em valores abusivos e irreais para a realidade da maioria dos torcedores.Também atuaremos na pauta pela volta dos ambulantes que tinham suas barracas no entorno do estádio. Sabemos que a maioria deles são de famílias humildes e dali tiravam os seus sustentos. Nossa luta será contra o futebol moderno sempre. Acreditamos que a essência do futebol e da luta por justiça social, é a participação do povo, seja dentro ou fora do estádios”, conta o “Resistência Alvinegra”.

Belo Horizonte e o coronavírus

Sobre o poder público, o grupo de torcedores do Atlético manifestou seu posicionamento quanto ao atual governo do prefeito Alexandre Kalil e as medidas de prevenção que foram estabelecidas em Belo Horizonte.

“Em relação pandemia, nós concordamos com às medidas usadas pelo prefeito ao combate à covid 19 até o final dessa semana. A pressão dos setores comerciais foi enorme e a prefeitura acabou cedendo, flexibilizando a abertura dos comércios nessa segunda feira. Quanto a isso, entendemos que essa medida pode ser um risco em releçao ao aumento de casos de contaminação na cidade”, pontua os torcedores.

Resistência Alvinegra

A maioria dos integrantes iniciais são camaradas que se conheceram através do futebol, sendo companheiros em uma torcida organizada (Galoucura) e outros através de manifestações políticas. Com isso, eles perceberam que a luta política e a paixão pelo Galo é o que temos em comum, daí tivemos a ideia de forma uma torcida que reunisse essas duas paixões (a luta social e o Galo).


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
visitas

222427

views

615797

A pandemia de covid-19 colocou o mundo diante de um dilema: com o número de casos explodindo e um estoque limitado de doses de vacinas, quem deve ser imunizado primeiro?

36.7%
63.3%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp