20/09/2021 às 09h49min - Atualizada em 20/09/2021 às 09h49min

Supermercados procuram saídas para driblar inflação e preservar consumo

Alguns estabelecimentos têm diluído os aumentos de determinados produtos -como a carne, por exemplo- entre outras mercadorias que têm mais saída

REDAÇÃO
FOLHAPRESS

Para tentar evitar que a inflação espante parte dos clientes, o varejo de alimentos vem criando mecanismos na tentativa de preservar as vendas.

 

Alguns estabelecimentos têm diluído os aumentos de determinados produtos -como a carne, por exemplo- entre outras mercadorias que têm mais saída e foram menos atingidas pela inflação, segundo a ACSP (Associação Comercial de São Paulo).

O equilíbrio nos repasses serve para escoar o estoque de itens mais caros e sem inviabilizar o consumo, diz a entidade.
"O comércio nem sempre consegue transferir para o consumidor todo o aumento de preços, por causa das dificuldades do próprio consumidor. E, com isso, ele vai tendo que achatar suas margens e, às vezes, até praticamente vendem sem margem", diz Marcel Solimeo, economista-chefe da entidade.

Na semana passada, a rede Extra Hiper começou a vender produtos da cesta básica com preço de atacado, mesmo que o cliente leve apenas uma unidade.

Quase 30 mercadorias, entre elas arroz, feijão, leite, produtos de limpeza e higiene pessoal, entraram na nova precificação para, segundo a empresa, garantir o poder de compra dos clientes.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
visitas

231567

views

640973

A pandemia de covid-19 colocou o mundo diante de um dilema: com o número de casos explodindo e um estoque limitado de doses de vacinas, quem deve ser imunizado primeiro?

36.6%
63.4%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp