16/07/2021 às 17h19min - Atualizada em 16/07/2021 às 17h19min

Vereadora Damires Rinarlly (PV) sofre perseguição e ameaças de morte em Conselheiro Lafaiete

Ela vem sendo vítima de homofobia, misoginia, calúnia e difamação. E denuncia que o que está ocorrendo com ela é violência politica de gênero.

REDAÇÃO
J15MNEWS
Damires Rinarlly (PV), única mulher a ocupar  cadeira na câmara municipal da cidade de Conselheiro Lafaeite , vem sofrendo ameças continuas. Após ser vítima de fake news sobre um projeto de lei de sua autoria, ela afirmou que está sendo perseguida e ameaçada de morte em suas redes sociais.

Na sessão da última quinta-feira (15) a vereadora apresentou um pedido a comissão de Direitos Humanos da câmara, para serem investigados os fatos.

Segundo seu relato, além dos fatos acima, ela vem sendo vítima de homofobia, misoginia, calúnia e difamação. E denuncia que o que está ocorrendo com ela é violência politica de gênero.

Segundo  Damires  as ameaças começaram após a apresentação de duas preposições de sua autoria, defendendo o direito das mulheres, a causa LGBTQIA+ e também dos animais.

De acordo com a vereadora, o autor das ameaças é um cidadão perigoso, conhecido na cidade e que já é investigado por violência doméstica.

Durante o uso da “palavra franca” a vereadora expressou sua tristeza com as ameaças que vem sofrendo e também ressaltando a bandeiras que ela defende “É de fato com imensa tristeza que eu demonstro isso a partir do momento em que somo eleitos, nós queremos fazer com que a voz do povo ecoe aqui na casa.

E desde antes na minha campanha e agora eleita, eu sempre protegi as mulheres e carrego também as bandeiras da proteção animal, LGBTQIA+, antirracista, ao meio ambiente, as pessoas com deficiência”.


Ainda durante sua fala ela afirmou que a liberdade de expressão quando ultrapassa o limite e ofende a democracia acaba se tornando um discurso de ódio criminoso.

“Ser ameaçada de morte não é liberdade de expressão, isso é um crime, homofobia é crime, calunia, difamação, misoginia. É muito triste saber que ao invés de ecoarmos nossas vozes as pessoas querem nos calar. Muitas vezes as pessoas se escondem através de dizer a palavra de Deus como se isso fosse uma mascará para velar o próprio preconceito” afirmou.


Damires afirma que mesmo sobre ameça e de saber que o que ela defende é uma  bandeira que incomodem muita gente,  ela não irá se calar “Não vão nos calar, se pensam que eu me calarei diante disso o contrário se eu incentivo e vejo o quanto a violência é difícil. Eu até agradeço todas as mulheres que me procuram relatando violência. A minha força vem de vocês, e a força que eu quero trazer aqui é que realmente as nossas vozes vão continuar ecoando e a gente sempre vai levantar cada vez mais essas bandeiras, sem deixar que a opressão iniba os nossos direitos” conclui

O presidente da Câmara Vereador João Paulo Pé Quente (DEM) afirmou que ela tem o total apoio da casa e da presidência. Já o vereador Sandro José (PROS) em sua palavra franca se solidarizou com a causa, afirmando “A violência relatada aqui nesta casa hoje é contra você, não é contra vossa excelência não isto é apenas o cargo. Você é a pessoa, a dignidade, a honradez, o caráter, a ética, o respeito e o orgulho de ser a pessoa que você é por isto eu me permito chamar de você. Porque daqui 4 anos o cargo pode deixar de existir, mas a cicatriz desses fatos ficará em você” pontua Sandro José.

Ele ainda afirmou que pedirá o encaminhamento deste depoimento para a Assembleia Legislativa de Minas Gerais e também ao Ministério Público “Não podemos permitir mais que esse tipo de coisa aconteça em qualquer instância” conclui o vereador.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
visitas

total_visits

views

total_views

A pandemia de covid-19 colocou o mundo diante de um dilema: com o número de casos explodindo e um estoque limitado de doses de vacinas, quem deve ser imunizado primeiro?

36.6%
63.4%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp