05/04/2021 às 06h10min - Atualizada em 05/04/2021 às 06h10min

Advogados, parentes do ex-senador Clésio Andrade e empresários receberam suposta vacina contra a Covid-19 clandestinamente em BH

REDAÇÃO
G1
Entre as 57 pessoas que constam na lista apreendida pela Polícia Federal na investigação sobre a vacinação clandestina contra a Covid-19 em Belo Horizonte constam advogados, um aluno de doutorado, um dentista e quatro parentes do ex-senador Clésio Andrade.
 
O documento, obtido com exclusividade pela TV Globo, mostra que diretores do Sindicato das Empresas de Ônibus da Região Metropolitana e empresários do setor de transporte também aparecem como beneficiados pela imunização irregular.O ex-senador nega ter recebido o imunizante, mas admitiu que esteve na garagem.

Conforme constatou a reportagem, a maioria dessas pessoas mora em bairros luxuosos e condomínios fechados da região metropolitana de Belo Horizonte.
A lista estava em uma das gavetas de Rômulo Lessa, que é dono da Saritur e que, segundo as investigações, seria um dos articuladores do esquema de vacinação.

Em depoimento à Polícia, o empresário confirmou que a garagem foi utilizada por dois dias seguidos para realizar a vacinação clandestina. O documento é uma pista importante, mas traz os dados de apenas um dos dias.Os investigadores acreditam que pelo menos outras 30 pessoas foram imunizadas na garagem da Saritur.

Histórico de golpes
 
As doses foram aplicadas pela falsa enfermeira Cláudia Pinheiro. Apesar de se apresentar como profissional de saúde, ela nunca teve registro no Conselho de Enfermagem.“Ela sempre falava ser enfermeira, que era instrumentador, mas nunca mostrou para a gente uma carteirinha”, disse uma mulher que trabalhou com Cláudia e que não quis se identificar.

Ainda de acordo com a mulher, que trabalhava como cuidadora de idosos com Cláudia, não era de hoje que a falsa enfermeira aplicava golpes. Segundo os relatos, ela pedia dinheiro emprestado e, ao ser cobrada, inventava desculpas para não pagar o valor.

Essa não foi a única vez que Cláudia teria desaparecido com o dinheiro dos outros. A TV Globo apurou que há diversos processos contra ela na Justiça. Em um dos casos, uma das vítimas diz ter perdido R$ 20 mil.

A mulher que trabalhou com Cláudia relata ainda que as informações eram de que a falsa enfermeira era perigosa. “As pessoas falavam que ela era meio perigosa, que tinha envolvimento com pessoas que eram perigosas e a gente ficou com medo mesmo de ir atrás do dinheiro que tinha que receber justamente por isso. (Por conta) do que era ela seria capaz de fazer”, diz.

Neste sábado (3), Cláudia teve o pedido de habeas corpus aceito pela Justiça e foi solta provisoriamente. O advogado dela, Bruno Agostini, disse que ainda não teve acesso às investigações.“A senhora Cláudia está à disposição de esclarecer os fatos, contato que ela tenha acesso às alegações que estão sendo trazidas contra ela”, informou.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
visitas

245321

views

677083

A pandemia de covid-19 colocou o mundo diante de um dilema: com o número de casos explodindo e um estoque limitado de doses de vacinas, quem deve ser imunizado primeiro?

36.6%
63.4%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp