22/12/2020 às 07h46min - Atualizada em 22/12/2020 às 07h46min

A IMPORTÂNCIA DE DORMIR BEM

REDAÇÃO
J15MNEWS

É durante o sono que o corpo se prepara para se restaurar,  se reparar e se reabastecer. Não dormir o suficiente pode ser bastante prejudicial à saúde. Confira as dicas para enfrentar um problema tão comum entre os brasileiros

Passamos um terço de nossa vida dormindo. Isso significa que se alguém viver até os 90 anos, dormirá o equivalente a 30 anos.

Quando você dorme o suficiente a sua memória fica mais aguçada, assim como a concentração e a capacidade do corpo. Dormir bem contribui para a melhora do metabolismo e para prevenir doenças crônicas, além de fazer com que o seu coração trabalhe melhor.

No entanto, milhares de brasileiros têm o sono privado, por diversas razões. No Brasil são 73 milhões de pessoas que sofrem de insônia, um dos principais problemas relacionados ao sono, de acordo com a Associação Brasileira de Distúrbios do Sono[1].

De acordo com a Dra. Aline Turbino, neurologista mestre em neurociência pela Universidade Federal de São Paulo, a privação do sono pode acarretar uma lista de problemas como estresse emocional, alto índice de gordura no sangue, pressão alta e fadiga. O corpo passa a produzir mais cortisol e armazenar gordura na região abdominal. Você fica mais irritado e pode cometer mais erros, tomar mais decisões inapropriadas e ganhar mais peso. Não é à toa que diversos acidentes no mundo foram associados à privação do sono.

Dra. Aline explica que a perda de sono é um sintoma que qualquer pessoa poderá experimentar em algum momento da vida. “Passamos a considerar a insônia crônica quando esta persiste por mais de três meses, casos em que deve ser investigada e avaliada pelo médico”.

Portanto dormir bem é coisa séria.

Mas afinal, o que é dormir bem?

De acordo com a neurologista essa é uma condição individual. Sete a nove horas por noite podem ser consideradas uma média, mas algumas pessoas necessitam de menos de seis horas (os chamados dormidores curtos) sem que isso os afete negativamente.

Diagnóstico e Tratamento

O diagnóstico é realizado pelo médico, neurologista ou especialista em problemas do sono, baseado na história do paciente, que pode apresentar sintomas de origem emocional, abuso da prática de exercícios e outros hábitos, problemas hormonais, dificuldade de respiração (apneia do sono, outro problema comum), distúrbio epilético, etc.  O tratamento consiste em tratar a causa que origina a insônia.

Outro fator que pode atrapalhar, e muito, o seu sono é o uso de eletrônicos, como televisão, lap topstablets e smartphones.  O ciclo do sono é regulado pelo ritmo cardiano (que por sua vez é regulado pelo ciclo de luz e escuridão). Quando está escuro o corpo quer dormir. A luz branca desses aparelhos (ondas curtas), afeta a produção de melatonina, hormônio que avisa ao cérebro que é hora de dormir. Assim o corpo mantem-se mais desperto e, quando a pessoa consegue dormir, experimenta uma noite mal dormida.

Outra luz que deve ser evitada é a azul, também presente nos eletrônicos, que acelera o metabolismo do corpo. Dra Aline afirma que é importante evitá-la principalmente à noite, ou cerca de três horas antes de dormir.

Se você sofre para dormir e ainda assim usa equipamentos eletroeletrônicos na hora de ir para a cama, reconsidere o hábito.

Dicas para Dormir Bem

  • Desligue qualquer coisa que possa emitir feixes de luz, inclusive eletrônicos, até três hora antes de dormir. Tire tudo da tomada.
  • Durma em um quarto escuro com as cortinas fechadas.
  • Tome um banho relaxante, que pode ajudar a diminuir a temperatura corporal e acalmar o sistema biológico, antes de ir para a cama.
  • Evite gordura, café e carboidratos simples à noite.
  • Procure fazer exercícios ao menos três horas antes de dormir.
  • Tem o hábito de ler? Use e abuse da leitura à cabeceira.
  • Respeite um horário fixo de dormir e acordar, inclusive nos fins de semana.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
visitas

231567

views

640973

A pandemia de covid-19 colocou o mundo diante de um dilema: com o número de casos explodindo e um estoque limitado de doses de vacinas, quem deve ser imunizado primeiro?

36.6%
63.4%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp